Líder do grupo Wagner vai para a Bielorrússia

0
visualizações

NOTÍCIAS RELACIONADAS

O líder do grupo Wagner, Yevgeny Prigozhin, vai mudar-se para a Bielorrússia, após o acordo negociado pelo presidente Alexander Lukashenko para terminar o motim armado.
Líder do grupo Wagner vai para a Bielorrússia, processo criminal contra ele cairá
O Kremlin anunciou hoje que o líder do grupo paramilitar Wagner, Yevgueni Prigozhin, protagonista de uma tentativa de rebelião armada na Rússia, partirá para a Bielorrússia, assegurando que a justiça russa não o perseguirá criminalmente nem aos seus combatentes.

“O processo criminal contra ele será arquivado. E ele irá para a Bielorrússia”, declarou à imprensa o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, sobre o dirigente do grupo de mercenários russo.

“Ninguém perseguirá [os combatentes que o seguiram], tendo em conta os seus feitos na frente” de batalha ucraniana, acrescentou Peskov.

Prigozhin suspendeu hoje as movimentações da rebelião na Rússia contra o comando militar, menos de 24 horas depois de ter ocupado Rostov, cidade estratégica no sul do país para a guerra na Ucrânia.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, classificou como rebelião a ação do grupo, afirmando tratar-se de uma “ameaça mortal” ao Estado russo e uma traição, garantindo que não iria deixar acontecer uma “guerra civil” e que os responsáveis pagariam por isso.

Ao fim do dia em que foi notícia o avanço de forças do grupo Wagner até cerca de 200 quilómetros de Moscou, Prigozhin anunciou ter negociado um acordo com o presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko.

Antes, o chefe do grupo paramilitar acusou o Exército russo de atacar acampamentos dos seus mercenários, causando “um número muito grande de vítimas”, acusações que expõem profundas tensões dentro das forças de Moscou em relação à ofensiva na Ucrânia.

 

Fonte: SAPO.



LEIA TAMBÉM 

Leave Comment

EDITORIAIS

MAIS LIDAS DA SEMANA

FACEBOOK DIÁRIO GM

RECENTES